Daniel no Rádio




O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou o café da manhã desta quinta-feira (9) com líderes governistas, ministros e o presidente Michel Temer sinalizando que, sem resolver os problemas da base aliada, que pressiona por uma reforma ministerial, não há chance de aprovar a reforma da Previdência. As informações são do repórter da GloboNews Nilson Klava.

"Nós temos um problema político, sem resolver o problema político, nada vai andar", afirmou o presidente da Câmara dos Deputados.

Maia vem dizendo a interlocutores que esta é a última chance do governo aprovar a reforma, e isso só será possível com duas condições: melhorar a comunicação com o discurso de que a reforma é para acabar com privilégios e resolvendo a questão política.

Para isso, o governo aceitou reduzir a reforma a praticamente dois pontos: idade mínima e sistema único de previdência, o mesmo para servidores e trabalhadores da iniciativa privada. (Blog Camarotti)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 16:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.75/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Governo do Estado divulgou uma nota, na manhã desta quinta-feira (9), a respeito da Operação Torrentes, realizada pela Polícia Federal (PF) junto com a Controladoria-Geral da União e da Procuradoria da República de Pernambuco. No texto, a gestão afirma que "é absolutamente lastimável o processo de espetacularização negativa das atividades de controle da atuação pública".

Além disso, afirma que a operação realizada no gabinete do chefe da Casa Militar, no Palácio do Campo das Princesas, é desproporcional. "O acesso a todos os documentos e equipamentos ali localizados, assim como a qualquer outro documento público, poderia ter sido solicitado sem a necessidade de qualquer ordem judicial".

Confira, abaixo, a íntegra da nota:

NOTA OFICIAL

Com relação à operação da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União realizada hoje (09.11) em prédios da Secretaria da Casa Militar do Estado, o Governo de Pernambuco reafirma a disposição de prestar todos os esclarecimentos necessários, como sempre tem feito quando solicitado por órgãos de controle e fiscalização.

A Operação Reconstrução, ocorrida a partir de julho de 2010, envolveu recursos advindos do Estado de Pernambuco e da União, dirigidos ao atendimento emergencial às 120 mil pessoas da Zona da Mata Sul atingidas pela enchente, bem como o trabalho de reconstrução das cidades.

As prestações de contas respectivas foram apresentadas a tempo e modo às autoridades competentes, estaduais e federais. Não foi descumprido nenhum prazo ou foi negada nenhuma informação por parte do Governo de Pernambuco.
Com relação à Operação Prontidão, realizada após a enchente deste ano de 2017, os prazos de prestação de conta ainda estão em curso.

A Operação Reconstrução construiu a Barragem de Serro Azul e cinco hospitais, o Hospital Regional de Palmares, os hospitais municipais de Água Preta, Cortês, Barreiros e de Jaqueira. A Operação Reconstrução também entregou 12.131 mil casas; recuperou ou reconstruiu 71 pontes, recuperou 185 vias urbanas e 28 muros de arrimo em diversos municípios atingidos.

A Operação Reconstrução recuperou, ainda, 63,13 quilômetros de rodovias e 203 quilômetros de estradas vicinais; reconstruiu 29 escolas atingidas, revitalizou a orla de Palmares; recuperou e reconstruiu 123 bueiros e 11 passagens molhadas, promoveu a dragagem do Rio Una e criou a Rede de Monitoramento Hidrometeorológico.

É absolutamente lastimável o processo de espetacularização negativa das atividades de controle da atuação pública. O que assistimos hoje é exemplo da grave prática de buscar criminalizar toda a atuação dos agentes públicos e políticos. Os trabalhos da Operação Reconstrução envolveram grande número de servidores públicos, que realizaram um esforço extraordinário na missão de minimizar o sofrimento que as enchentes causaram à população pernambucana.

É lamentável a operação desproporcional realizada no Gabinete do chefe da Casa Militar, no Palácio do Campo das Princesas. O acesso a todos os documentos e equipamentos ali localizados, assim como a qualquer outro documento público, poderia ter sido solicitado sem a necessidade de qualquer ordem judicial.

Logo que disponha de mais informações, o Governo de Pernambuco voltará a se pronunciar publicamente.

Governo do Estado de Pernambuco




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Segundo a Folhapress, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro confirmou a condenação do deputado federal e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSC-RJ) por dano moral coletivo, com pagamento de multa de R$ 150 mil, por declarações homofóbicas em um programa de televisão.

Em 2011, Bolsonaro disse ao "CQC", programa que a TV Bandeirantes suspendeu em 2015, que nunca passou por sua cabeça ter um filho gay porque seus filhos tiveram uma "boa educação", com um pai presente. "Então, não corro esse risco", disse.

Nesta quarta-feira (8), o deputado perdeu recurso por três votos a dois e terá de pagar ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, órgão do Ministério da Justiça, que investe em obras sociais. A defesa de Bolsonaro ainda pode recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

À época da polêmica, Bolsonaro afirmou que não fazia crítica a gays e que todas as suas declarações estavam voltadas contra o chamado "kit gay", material escolar que seria distribuído nas escolas públicas para discutir temas como diversidade sexual e gravidez na adolescência.

Mas a juíza Luciana Teixeira considerou que Bolsonaro infringiu o Artigo 187 do Código Civil, ao abusar de seu direito de liberdade de expressão para cometer um ilícito civil. Ela escreveu que "não se pode deliberadamente agredir e humilhar, ignorando-se os princípios da igualdade e isonomia, com base na invocação à liberdade de expressão".

A assessoria de Bolsonaro afirmou que o deputado só irá se pronunciar sobre a confirmação da condenação quando for notificado da sentença.




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 14:36:51  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Após ser acusado de ter recebido propina durante o período em que esteve à frente do Ministério da Saúde, o senador Humberto Costa (PT), líder da Oposição no Senado Federal, considerou "absurda, irresponsável e mentirosa" a denúncia.

Em acordo de delação premiada, o ex-subsecretário de Saúde do Rio César Romero apontou que Humberto recebia os recursos indevidos do empresário Miguel Iskin, sócio da empresa Oscar Iskin e atuante no segmento de próteses e material cirúrgico.

O senador, ainda segundo a nota, desconsiderou "a declaração dada por alguém que ele não conhece, a respeito de algo jamais citado por quem quer que fosse depois de mais de uma década do fim de sua gestão à frente do Ministério.

"As mudanças feitas na portaria mencionadas na delação do réu ocorreram após a saída de Humberto Costa do comando da pasta", relata a assessoria do petista. (Folha de Pernambuco)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 14:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



"Todo o fim de mês é um Deus nos acuda para fechar as contas". O desabafo do prefeito de Ouricuri, Ricardo Ramos (PSDB), no Sertão do Araripe, revela a situação de desespero dos gestores para lidar com os efeitos do aprofundamento da crise econômica. Uma dor de cabeça que se aprofunda com a proximidade do fim do ano, quando batem na porta a responsabilidade de fechar as contas e pagar o décimo terceiro salário dos servidores. Uma obrigação que leva prefeitos do interior do Estado a tomar medidas drásticas e promover demissões em massa nas máquinas municipais.

O anúncio com dos cortes nas gestões municipais será feito pela Associação Municipalista de Pernambuco (AMUPE) na próxima terça-feira. Segundo o presidente da entidade, José Patriota, o número de gestões que tiveram que aderir ao contingenciamento radical chega a casa das dezenas.

Os casos mais drásticos se concentram nas prefeituras do interior, em especial, do Sertão e Agreste. Em Afrânio, no Sertão do São Francisco, o prefeito Rafael Cavalcanti (PMDB) tomou uma decisão radical e cortou todos os comissionados da gestão. Ao todo, foram 200 demissões. As secretárias municipais serão diretamente afetadas. Ficarão apenas as secretarias ordenadoras de despesas das áreas de Obras, Educação e Saúde. "Estamos cortando da energia ao cafezinho. Já estávamos cortando os comissionados desde o início do ano, mas não teve jeito", desabafou. Nos municípios vizinhos de Santa Maria da Boa Vista e Orocó os cortes também alcançaram centenas de servidores comissionados e temporários.
Em Cabrobó, o prefeito Marcílio Cavalcanti (PMDB) terá que fazer novos cortes na gestão. No início do seu governo, foram 200 cargos de comissionados e temporários fechados. Desta vez, serão mais 100 servidores. Gratificações e bonificações foram eliminadas. O administrador espera, com a medida, economizar R$ 30 mil na folha de pagamento. Atualmente, a máquina municipal está acima do limite de gasto de pessoal e compromete 58% da sua receita. O teto legal é 54%. O peemedebista não descarta o corte de efetivos.

"Vamos fazer ajustes e cobrar mais dos funcionários para não ter descontinuidade dos serviços. Também pretendemos aumentar a arrecadação para incrementar a receita", afirmou. A dificuldade é ainda maior para prefeituras que dependem do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Segundo Ricardo Ramos, somente a prefeitura de Ouricuri teve uma queda de R$ 700 mil nos repasses. (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 13:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Café da manhã reforçado, banho, roupas limpas e uma equipe especializada no acolhimento. Estes são alguns dos serviços que o Centro Pop tem oferecido às pessoas em situação de rua, em Petrolina. Depois de mudar de endereço, o equipamento também ampliou os serviços e em pouco mais de três meses quase dobrou o número de atendimentos diários.

Atuando no acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social, o Centro de Referência Especializado para a População de Rua (Centro Pop), coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, tem capacidade de atender mais de 100 pessoas por dia e mudou de endereço em julho deste ano deixando a Rua Riachuelo, no Bairro Palhinhas, e passando a funcionar na Rua Padre Fraga, no centro da cidade.

Com a mudança para o local estratégico, o equipamento praticamente dobrou o número de atendimentos e também implantou novos serviços com o objetivo de estimular a ressocialização, geração de renda e o lazer entre as pessoas atendidas.

Uma destas novidades foi a criação do ‘Cine Pop', iniciativa através da qual os usuários reúnem-se a cada 15 dias para assistir à filmes temáticos. De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos de Petrolina, Kátia Carvalho, a ideia é que o equipamento ofereça não só serviços básicos como alimentação e banho, mas acima de tudo, que o ambiente possibilite a ressocialização dos usuários.

"Não queremos que o Centro Pop seja apenas um local onde as pessoas se alimentem e tomem banho, queremos ir muito além disso. A oferta de serviços humanizados e diferenciados como exibição de filmes, por exemplo, desperta a atenção deles e provoca reflexões fundamentais para resgatá-los desta situação de rua", disse a gestora da pasta. As informações são da assessoria.




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 12:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.25/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.3/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Em 2018, a safra de grãos (cereais, leguminosas e oleaginosas) deverá atingir 220,2 milhões de toneladas. Se confirmado, o número ficará 8,9% abaixo da safra deste ano, segundo o primeiro prognóstico para o próximo ano feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado nesta quinta-feira (9).

De acordo com as estimativas, a produção deve recuar em todas as regiões: Norte (-3,2%), Nordeste (-5,8), Sudeste (-4,8%), Sul (-12,3%) e Centro-Oeste (-8,0%).

As condições climáticas para o plantio são apontadas como a causa da redução da estimativa de safra do próximo ano, sobretudo de soja. "Esse ano já começou seco demais, então nós estamos atrasando o plantio de soja, com isso a colheita deve atrasar", explicou Carlos Antônio Barradas, pesquisador da Coordenação de Agropecuária do IBGE. "Como a produção deste ano foi muito grande, a base de comparação é muito elevada. Por isso eu estou dizendo que a projeção para 2018 é otimista."

O resultado deverá ser puxado, principalmente, por causa das quedas de 6,3% na estimativa de produção da soja e de 14,4%, na do milho. De acordo com o IBGE, entre os cinco produtos mais relevantes para a próxima safra, quatro devem ter produção menor: algodão herbáceo em caroço (-1,5%), arroz em casca (-6,8%), milho em grão (-14,4%) e soja em grão (-6,3%). (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 11:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.33/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.3/5 (3 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O uso de álcool, seja leve, moderado ou pesado, está associado ao aumento do risco de vários tipos de câncer, incluindo os da mama, do cólon, do esôfago, e da cabeça e do pescoço. É assim que começa um informe de evidências sobre o uso de álcool e câncer de uma das sociedades de oncologia mais influentes no mundo, a American Society of Clinical Oncology (ASCO).

A orientação, divulgada essa semana, é importante porque coloca o álcool como um fator de risco definitivo para o câncer, de forma indireta ou indireta. Diretamente, a ASCO cita que cerca de 6% das mortes no mundo estão associadas diretamente ao consumo de álcool. Ainda, segundo a entidade, não só o consumo pode levar ao câncer, mas também ele afeta negativamente o tratamento.

O estudo aponta que o etanol danifica o DNA de células saudáveis, o que pode fazer com que elas cresçam desordenadamente, provocando tumores. Também o acetaldeído -- produto da digestão do álcool -- contribui para essa influência negativa do álcool no genoma.

No caso de mulheres, o álcool também contribui para o aumento da quantidade de estrógeno no corpo -- o que é um fator de risco para câncer de útero, ovário e mama. "Isso é particularmente importante para mulheres adeptas de tratamento hormonal na menopausa", diz a ASCO.

O consumo de álcool também prejudica a absorção de vitaminas no corpo e leva ao aumento de peso, fatores também associados a uma maior chance de desenvolver câncer. (Bem Estar)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 10:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.80/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ex-comandante da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), coronel Carlos D'albuquerque, é um dos alvos da "Operação Torrentes", que visa desarticular um esquema criminoso de desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e corrupção de servidores públicos vinculados à Secretaria da Casa Militar do Estado de Pernambuco. A ação é realizada pela Polícia Federal de Pernambuco (PFPE), junto com a Controladoria-Geral da União e da Procuradoria da República de Pernambuco. Ainda não se sabe se o mandado expedido contra o militar é de prisão ou de condução coercitiva.

São cumpridos no Recife e Região Metropolitana 15 mandados de prisão temporária,19 de condução coercitiva e 36 de busca e apreensão. Também é realizado um mandado de condução coercitiva no Pará. (Portal FolhaPE)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 09:18:40  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.5/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) descartou nesta quarta-feira (8) a possibilidade de cancelamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano or conta de operações da Polícia Federal para investigar indícios de fraudes no certame. "É importante, neste momento, que os participantes mantenham a calma para a aplicação do segundo dia de provas no próximo domingo, 12 de novembro", diz o Inep.

Segundo o órgão, foram adotadas todas as medidas para uma aplicação segura, que garanta isonomia entre os participantes e tranquilidade para realização das provas. Na manhã de hoje, quatro pessoas foram presas por suspeitas de fraude em concursos públicos e no Enem de 2016. Segundo a Delegacia de Polícia Federal em Juazeiro do Norte (CE), não foram identificados indícios de fraudes no Enem deste ano.

O Inep destaca que trabalha em estreita parceria com o MEC e a Polícia Federal para garantir a segurança do Enem. "Essa colaboração, ampliada desde 2016, vem permitindo a identificação e a prisão de quadrilhas especializadas em fraudar concursos públicos e processos seletivos, como ocorre nesta data por meio da Operação Adinamia, deflagrada pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal", informa o Instituto. (Agência Brasil)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 08:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ministro da Justiça, Torquato Jardim, apresentou ao presidente Michel Temer um nome diferente do escolhido para comandar a Polícia Federal.

Nesta quarta-feira (8), o Ministério da Justiça anunciou que Fernando Segóvia assumirá o posto. Mas nas negociações para a escolha do sucessor de Leandro Daiello, o nome sugerido a Temer foi o do delegado Rogério Galloro, segundo confirmaram interlocutores do ministro. Galloro é o atual número 2 na hierarquia da PF.

Torquato Jardim é amigo de Michel Temer há mais de 30 anos. Mas, desta vez, Temer preferiu ouvir outros aliados, que conseguiram convencê-lo de que o melhor nome para o cargo era o de Segóvia.

Interlocutores que acompanharam as negociações afirmam que Segovia teve o apoio do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, do ex-deputado e ministro do TCU, Augusto Nardes e do ex-presidente e ex-senador José Sarney.

O ministro da Justiça, a quem a Polícia Federal está subordinada, disse, na semana passada, que o governo estadual do Rio de Janeiro não controla a Polícia Militar e que o comando da corporação está associado ao crime organizado.

As críticas, consideradas fortes e generalistas, desagradaram ao presidente, que pediu para o ministro cessar as declarações públicas sobre o assunto. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2017 - 07:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.5/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, afirmou nesta quarta-feira (8), que o governo federal publicará uma nova portaria com critérios para a fiscalização do trabalho escravo.

A decisão foi anunciada um dia após a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ter rejeitado um documento entregue por Nogueira com sugestões para aperfeiçoar a polêmica portaria que modificou as regras de combate e fiscalização do trabalho escravo e que foi publicada em outubro.

Essa portaria está suspensa por decisão liminar (provisória) da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF). Antes mesmo da decisão judicial, a própria Raquel Dodge já havia classificado a portaria como "retrocesso" e solicitado que o governo a revogasse.

A portaria também foi criticada por entidades do Brasil e do exterior, entre elas a Organização Internacional do Trabalho (OIT), que apontaram que a portaria dificultaria a atuação da fiscalização.

"Nós estamos construindo uma portaria que aprimore aquela [que foi suspensa pelo STF]. Vai aprimorar aquela no sentido de melhorar a segurança. Nós vamos surpreender o Brasil", afirmou Nogueira. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 23:47:15  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (2 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Com o acirramento da pressão interna do PSDB pelo desembarque de seu governo, o presidente Michel Temer admite a saída antecipada dos ministros tucanos e a redistribuição dessas pastas para aplacar a insatisfação de outras siglas da base aliada.

Em conversas com auxiliares nos últimos dias, Temer disse que o rompimento com o PSDB é irreversível e quer aproveitar a saída desses aliados para fazer uma reforma ministerial ampla ainda este ano. Nesse cenário, seriam substituídos os ministros tucanos e outros integrantes do primeiro escalão do governo.

O presidente propôs a líderes governistas nesta quarta-feira (8) a realização dessas trocas em janeiro, mas o centrão - bloco formado por partidos como PP, PR e PTB - rechaçou a oferta e cobrou uma reforma imediata.

Temer preferia manter os tucanos em seu governo até abril de 2018, quando 17 ministros deixarão seus cargos para disputar eleições.

Ele avaliava que mudanças no primeiro escalão antes disso abririam nova crise na base aliada. (Folhapress)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 21:32:07  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.25/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.3/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ex-subsecretário de Saúde do Rio César Romero afirmou nesta quarta-feira (8) que o senador Humberto Costa (PT) recebia propina do empresário Miguel Iskin, que atua no setor de próteses e equipamentos médicos. As vantagens indevidas foram pagas, segundo o relato, durante o período em que o petista ocupou o cargo de ministro da Saúde, entre 2003 e 2005.

Romero firmou acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal e prestou depoimento em ação penal que apura o desvio de R$ 16 milhões na Secretaria de Saúde do Rio durante a gestão do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

Ele disse que o esquema implantado na secretaria estadual reproduziu o que já havia funcionado no Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia) a partir de 2002, período em que o ex-secretário Sérgio Côrtes ocupou o cargo de diretor. A propina paga a Costa teria ocorrido nesse período.

"Eu soube de alguma coisa de relacionamento dele, dando valor, para o então ministro Humberto Costa", disse Romero.

O delator disse que os pagamentos se referiam a uma mudança numa portaria relacionada ao Projeto Suporte - programa do Ministério da Saúde que previa envio de médicos do Into para a realização de atendimentos e cirurgias em outros Estados. (Folhapress)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 17:38:27  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.67/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.7/5 (3 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Os condutores que percorrem as principais vias de Petrolina já perceberam que está mais fácil trafegar pelos quatro cantos do município. É que muitos dos buracos que tanto tiravam o sossego e a paciência dos motoristas foram eliminados durante a primeira fase da Operação Tapa-buraco, realizada pela Prefeitura. Ao todo, entre os meses de abril e setembro, foram 3565 buracos fechados, com asfalto ou paralelo, em 26 bairros da cidade. Além das principais vias de acesso, grandes avenidas também foram contempladas, a exemplo da Monsenhor Ângelo Sampaio, Governador Nilo Coelho, Mário Rodrigues Coelho, Cardoso de Sá, Integração, Rio Branco, dos Tropeiros, das Nações, Marechal Hermes da Fonseca, Lili Amorim e a Perimetral/Transnordestina. Todo o trabalho foi conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS).

De acordo com o secretário da SEDURBS, Eduardo Carvalho, o contrato inicial da Operação-Tapa buraco, que era de 6 meses, terminou, mas um novo processo licitatório já está em tramitação para que um novo contrato seja firmado. "A nossa expectativa é poder fazer um novo contrato, maior, de pelo menos 1 ano. Sabemos que em muitos casos a manutenção de vias passa pelo recapeamento, mas enquanto este momento não chega, o prefeito Miguel Coelho não abre mão de oferecer uma solução eficaz e que já apresentou excelentes resultados, como nesta primeira fase da Operação-Tapa buraco que fizemos", destaca Carvalho. (Ascom)




Publicado por: - 08/11/2017 - 11:15:52  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (2 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Desde que conseguiu um salto de qualidade no domínio do inglês da população, há cinco anos, o Brasil se manteve estagnado no nível de proficiência "baixo" da língua, segundo os dados da edição 2017 do Índice de Proficiência em Inglês (EPI, na sigla em inglês) divulgado na manhã desta quarta-feira (8) pela EF Education First, empresa de educação internacional especializada em intercâmbio.

Entre 2016 e 2017, o Brasil registrou um ligeiro aumento e atingiu seu mais alto índice na história, de 50,66 para 51,92. Mas ele não está muito acima do nível de 2015, que foi de 51,05.

Considerando os demais países, o Brasil caiu da 40ª para a 41ª posição, e ficou ligeiramente acima do índice médio da América Latina, que neste ano chegou a 51,47. Porém, o país ficou abaixo da pontuação média mundial, de 53,18 pontos, e dos países africanos (52.28). (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 10:11:15  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (2 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Depois de admitir que o governo não tem, hoje, votos suficientes para aprovar a reforma da Previdência e que, "sozinho", não teria como bancar a medida, o presidente Michel Temer dá continuidade nesta quarta-feira (08) a sua estratégia de tentar reagir e mudar o cenário considerado difícil para a medida na Câmara dos Deputados.

Às 9h30, ele marcou uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Eliseu Padilha (Casa Civil), com o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, e com o relator da reforma na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), para tratar do tema.

Segundo assessores, o presidente quer discutir com os deputados e os integrantes de sua equipe "até onde dá para negociar a proposta que está na Câmara e fechar um novo texto para levar aos líderes dos partidos aliados".

A reunião foi marcada como uma última cartada do governo para tentar aprovar a proposta, após a reação negativa do mercado às declarações do presidente de que o governo "sozinho" não tem votos atualmente para aprovar a reforma da Previdência. Como reflexo da declaração, a bolsa caiu e o dólar subiu.

Dentro da equipe de Temer, a ideia é fechar um texto bem enxuto, baseado em idade mínima de 65 anos para homens e 62, para mulheres; tempo de contribuição menor do que o proposto inicialmente, de 25 anos podendo cair para 15 anos; unificação dos sistemas público e privado de aposentadoria, definindo que ninguém pode se aposentar com um valor acima do que hoje seria de R$ 5.531. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 09:14:46  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.75/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (4 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Twitter decidiu levar à frente seu projeto de mudar a principal regra da rede social, o limite de 140 caracteres para postagens.

A empresa anunciou, nesta terça-feira (7), que agora os tuítes podem ter até 280 toques, o dobro do tamanho original. A liberação começou a partir das 19h, mas deve chegar aos poucos às redes dos usuários.

Desde setembro, a empresa realizava testes com grupos limitados de usuários para avaliar a decisão.

O principal argumento para a mudança é a busca por facilitar o uso da plataforma, permitindo que usuários postem mais rapidamente, sem se preocupar tanto com edições para se enquadrar no tamanho permitido. (Folhapress)




Publicado por: Daniel Campos - 08/11/2017 - 01:14:47  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (3 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Ministério da Educação (MEC) afirmou, nessa segunda-feira (06), que busca ampliar a acessibilidade e políticas de afirmação de surdos. Segundo o gestor da pasta federal, Mendonça Filho, está incluída na proposta da Base Nacional Comum Curricular, a formação adequada de professores. O treinamento específico é o passo para "uma política pública cada vez mais inclusiva, respeitando a condição específica dos surdos ou daqueles que têm deficiência auditiva no nosso País", afirmou.

Em entrevista ao programa "Por Dentro do Governo", o ministro comentou o assunto da redação do Enem deste ano que teve o tema "Desafios para a Formação Educacional de Surdos no Brasil". Mendonça explicou que é o Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), no Rio de Janeiro, quem subsidia as políticas públicas para surdos no âmbito do MEC e apoia a sua implementação pelas esferas subnacionais de governo. "Na ponta, quem tem a responsabilidade direta por essas políticas públicas são os estados e municípios. Cabe ao Ministério da Educação induzir e apoiar políticas nacionais de inclusão geral e específicas", disse. Mendonça Filho destacou ainda que a língua brasileira de sinais (Libras) precisa ser cada vez mais incorporada na política educacional brasileira.

Apesar de as estratégias de inclusão educacional, segregações educacionais persistem. "Falta profissional com conhecimento pedagógico para pessoas surdas. Um dos mitos é pensar que o surdo não tem capacidade, mas nossa inteligência é a mesma dos ouvintes", comentou o diretor da Associação de Surdos de Pernambuco, René Ribeiro. O estudante Alessandro Vasconcelos, 22 anos, fez o Enem no último domingo (05) usando o novo recurso de acessibilidade: a videoprova traduzida em Libras. "Não tive dificuldade nenhuma. Foi maravilhoso porque me deu mais clareza e segurança para responder as questões. Já fiz a prova cinco vezes e essa foi a melhor", afirmou.

O estudante acrescentou que o tema da redação foi motivo de emoção. "Controlei a minha para não errar, mas aproveitei para escrever sobre a realidade de hoje sobre a escola bilíngue e inclusiva. Sugeri também que seja colocado na grade curricular de todas as escolas e universidades a disciplina de libras", contou. Assim como Alessandro, quase 5 mil candidatos surdos ou com deficiência auditiva se inscreveram neste ano. Do total, 1.635 solicitaram a videoprova, 1.357 optaram por tradutor intérprete de libras e 895 preferiram a leitura labial. (Blog Folha)




Publicado por: - 07/11/2017 - 19:48:45  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.80/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Opositor ferrenho ao governo federal, o senador Humberto Costa (PT) fez duras críticas ao possível desembarque do PSDB da gestão - ao qual classificou de "comportamento descarado, oportunista e covarde" do partido. De acordo com o parlamentar, os tucanos são responsáveis pelo que chamou de "estorvo nacional" e, desde então, mantêm quatro ministros de Estado, sendo um deles o pernambucano Bruno Araújo (Cidades), "se alimentando nababescamente das gordas tetas públicas e garantindo cargos, emendas e verbas públicas canalizados para abastecer o ninho tucano".

"Não venham agora querer enganar o povo brasileiro com o discurso de que parte do partido não concorda com Temer. Vocês, do PSDB, são os criadores dele e sempre apoiaram cegamente todas as pautas mais nefastas que foram enviadas a este Congresso, desde o congelamento dos investimentos em educação e saúde até a destruição dos direitos trabalhistas, que, aliás, entra em vigor no próximo sábado", disparou.

O senador relacionou o que chamou de vingança por capricho pessoal - o que resultou na saída de Dilma Rousseff (PT) após o impeachment - as quatro derrotas seguidas nas urnas para o PT (nos anos de 2002, 2006, 2010 e 2014).

"Incendiando o país de ponta a ponta - com um grupo de pessoas iludidas atrás de um pato amarelo, que congregava subcelebridades e até ator de filme pornô - o PSDB serviu ao papel de carrasco da democracia, de principal escada para Temer subir e chegar onde chegou. Se Michel Temer hoje deve o roubo da faixa presidencial a alguém, é, sem dúvida, ao PSDB", afirmou.

O parlamentar avaliou que, diante da participação do PSDB no governo, a legenda não deveria abandonar Michel Temer (PMDB). "Agora, os tucanos deviam, ao menos, terem a dignidade de se abraçar a ele e defendê-lo até o fim", destacou. E completou: "Querer saltar fora agora, covardemente, depois de ter metido o Brasil nesse atoleiro chamado Temer, deixando o País num rumo incerto e extremamente perigoso, é uma vergonha. Essa fatura, não tenham dúvida, vocês vão pagar com juros altos nas eleições do ano que vem. O País não se esquecerá do que PSDB cometeu". (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 07/11/2017 - 18:55:26  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.60/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.6/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



«Primeira «Recentes 1 2 [3] 4 5 6 7 ... Antigas» Última»