População pode doar caixas de leite vazias para viveiro municipal

Quem tem vontade de ajudar o meio ambiente e não sabe por onde começar, aí vai uma boa dica: que tal juntar caixas de leite vazias e doar para a Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA)? A destinação final do material recolhido tem endereço certo: o viveiro municipal, que funciona na escola Miguel Arraes, no bairro Henrique Leite, em Petrolina. Após reforma realizada recentemente, o local agora tem condições de produzir e abrigar até dez mil mudas de espécies nativas da caatinga- a exemplo de ipês, caraibeiras, umburana, dentre outras- e as caixas de leite poderão ser aproveitadas para abrigar as espécies.

"Esse tipo de caixa, quando vazia, normalmente vai parar no lixo e se constituir em um sério problema ambiental por ser de difícil biodegradação. Sendo reaproveitada, pode se transformar em um importante elemento aliado da natureza. A caixinha é reutilizada por um período entre 8 e 12 meses a mais, tendo como resultado as plantas que nelas são produzidas e a quebra de resistência antes de manda-las de volta para a natureza, considerando que além de ser de difícil degradação, também é de difícil reciclagem. A composição desse tipo de caixa é feita de material como alumínio e polietileno. O processo de decomposição é lento e pode degradar o meio ambiente. Quando utilizamos para o plantio, já conseguimos diminuir esse impacto", frisa o ambientalista e membro do setor de Educação Ambiental da AMMA, Vitório Rodrigues.

Para ajudar, a população só precisa juntar as caixas de leite e agendar o recolhimento junto a AMMA, através do telefone 87 3866 2779. "Basta juntar e entrar em contato para que a gente possa articular como vai fazer a coleta. O mais importante é a pessoa saber que vai contribuir para a diminuição de um impacto ambiental", pontua o ambientalista.

Atualmente, o viveiro municipal trabalha com a produção de mais de duas mil mudas nativas e adaptáveis adequadas à região. O objetivo principal é distribuir essas mudas para a população e para instituições, contribuindo desta forma, com o processo de manutenção de espécies típicas da caatinga, bem como do processo de arborização da cidade. O local- que passou por uma reforma que incluiu a troca das estacas por madeiras tratadas e melhorias no sistema de irrigação- também funciona como uma sala de aula ao ar livre, uma vez que estudantes e pesquisadores podem frequentar o local para conhecer mais sobre as espécies e sua conservação. Os participantes do programa das Unidades de Conservação da Caatinga (UCCA´s), cujas áreas tenham algum déficit de espécies nativas ou adaptáveis, também poderão ser beneficiados com as mudas.

"A Agência tem buscado implantar ações que possam efetivamente promover o desenvolvimento sustentável, sempre pensando em preservar e conservar o meio ambiente. E nesse contexto, a participação da população é de fundamental importância para que possamos lograr êxito nas iniciativas propostas", destaca o diretor presidente da AMMA, Gleidson Castro. (Ascom)


Publicado por: Daniel Campos - 22/05/2014 - 14:26:56

 


Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar

Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.68/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.7/5 (28 votos)

 

 

COMENTÁRIOS