Cardozo: Palocci sabe calcular os fins e os meios na sua ação

Testemunha de defesa de Antonio Palocci, o ex-ministro da Justiça do Governo Dilma Rousseff (PT) José Eduardo Cardozo afirmou, nesta segunda-feira (18), sempre ter tido uma "excelente relação" com o companheiro do Partido dos Trabalhadores (PT).

Cardozo, que foi depor em favor de Palocci em março deste ano, avaliou que o correligionário, hoje preso e delator, é "um homem de uma inteligência e uma capacidade de articulação como poucas vezes vi". "E inclusive com uma qualidade na política que é saber controlar suas emoções para agir com frieza e atingir os objetivos a que se destina", disse em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

"Eu sempre tive uma excelente relação com o Palocci. Nos aproximamos bastante na campanha de 2010. Eu, ele e José Eduardo Dutra éramos conhecidos como os três porquinhos, porque eu estava bem mais gorducho do que eu estou hoje, tinha 21 quilos a mais. E então, naquele momento nós vivíamos o cotidiano. E eu sempre tive uma excelente relação pessoal com o Palocci. Acho o Palocci um homem inteligentíssimo", analisou, ao ser indagado sobre a relação entre eles.

Questionado, então, se ele poderia ser considerado um "simulador", Cardozo foi enfático: "Eu diria o seguinte: ele é uma pessoa que sabe calcular os fins e os meios na sua ação".

O ex-ministro da Justiça, no entanto, diferenciou Antonio Palocci do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cardozo disse ter uma inimizade com o peemedebista desde a época de parlamentar, apesar de reconhecer a capacidade de estrategista do opositor. "Reconheço que o Eduardo Cunha era um homem inteligente, um homem frio, determinado e muito trabalhador. Agora, do ponto de vista ético, francamente...", disse. (Blog da Folha)


Publicado por: Daniel Campos - 18/09/2017 - 19:00:00

 


Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar

Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.10/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.1/5 (10 votos)

 

 

COMENTÁRIOS