Reencontro de me e filho mostra amor que venceu o tempo

Vítima de violência doméstica, dona Sofia Severo da Silva se viu obrigada a abandonar os filhos após ser ameaçada pelo marido. De São Paulo, veio para o Recife da década de 1960, mas, por toda sua dor, preferiu não construir família. No coração, a esperança de rever seus filhos permanece até hoje. A Folha de Pernambuco registrou reencontro entre mãe e filho, renascidos a partir do abraço que esperou 55 anos.

"Na vida, temos que saber conviver com todos. Cada pessoa tem um coração diferente." O conselho sobre como viver em harmonia partiu de dona Sofia Matias Severo da Silva, 86 anos, residente há 10 anos no Abrigo Cristo Redentor, localizado em Jaboatão dos Guararapes. Apesar do ensinamento, ela declarou que, em toda sua vida, não construiu laços sólidos de amizade e nem quis. Tímida e, segundo os enfermeiros da unidade assistencial, um pouco reservada e, por vezes, mais agressiva, estava com sorriso especial no rosto e muito receptiva nessa sexta-feira (5). O motivo? O reencontro com seu filho mais velho, após 55 anos de uma separação inevitável.

A idade mais avançada nunca foi impedimento para que ela relatasse sua trajetória de vida com detalhes, mas o problema é que muitos não acreditavam, achavam que ela poderia estar confusa com suas lembranças. Até que no dia 20 de outubro, durante a ação solidária de uma empresa de telefonia móvel, o gerente Thiago Cavalcante Sampaio sentiu-se tocado com a história e decidiu ir em busca dos filhos perdidos. Ele conseguiu encontrar Severino Matias Severo da Silva, 57, no Facebook.

Ela foi a primeira senhora que conversei e aquela história me impactou. Fui procurar a assistente social para saber até que ponto aquelas lembranças eram reais, e depois fui procurar esses filhos nas redes sociais", explica Thiago, que realizou uma campanha com os amigos para financiar a passagem do Rio de Janeiro para Recife, do filho mais velho de dona Sofia.

Na véspera de Natal, Severino, que mora no Rio de Janeiro e é pastor da igreja Assembleia de Deus, mesmo com a desconfiança ao ser questionado se conhecia a mãe, decidiu responder ao gerente de telefonia. "Resolvi reativar o Facebook para desejar feliz Natal para meus amigos, foi quando vi as mensagens dele.

Conversamos e vi que os dados batiam", relembra. Dona Sofia estava sentada no banco em frente à capela do abrigo, enquanto aguardava ansiosa pela chegada do filho, rezava um terço com suas companheiras de cotidiano. Ao avistar um senhor ao lado do voluntário Thiago, ela perguntou: "Esse moço é que é meu filho?". De imediato o pastor a abraçou e perguntou se poderia chamá-la de mãe, logo em seguida pediu sua benção. "Não a culpo de nada. Eu achava que ela já tinha falecido. Meu aniversário é na próxima terça-feira e fico muito feliz de ter ganhado esse presente. Hoje nós renascemos", afirma Matias Severo. (G1)


Publicado por: Daniel Campos - 07/01/2018 - 09:00:00

 


Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar

Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.0/5 (4 votos)

 

 

COMENTÁRIOS