Daniel no Rádio




Gitanjali Rao é uma menina de 11 anos de Colorado, cidade nos Estados Unidos, que se tornou a cientista mais jovem do país. Ela venceu o Discovery Education 3M Young Scientist Challenge por criar um dispositivo que detecta níveis de chumbo na água. A estudante da sétima série leva para casa o prêmio de US$ 25 mil (quase R$ 82 mil).

O projeto, segundo ela, foi inspirado na crise hídrica da cidade de Flint, em Michigan, entre 2014 e 2015, em que o sistema de água estava altamente contaminado por chumbo. Mais de 80 casos de contaminação foram detectados na população, principalmente em crianças, e 12 pessoas morreram.

Ela levou em consideração a quantidade de pessoas que tinham sido afetadas e que o problema não era apenas em Flint. Mais de 5.300 sistemas de águas nos Estados Unidos sofrem com isso, de acordo com dados de 2016.

"A ideia veio assim que meus pais fizeram o teste de chumbo na nossa água", contou Gitanjali ao Business Insider. "Eu pensei: 'bem, esse não é um processo confiável e eu tenho de fazer algo para mudar isso'", disse.

Há dois métodos para descobrir se a água está contaminada: usar tiras de teste de chumbo - processo rápido, mas não muito preciso - ou enviar uma amostra da água para análise, que leva tempo e requer equipamentos caros. A menina queria uma solução mais efetiva.

Assim, trabalhando com cientistas da 3M (companhia de tecnologia que atua em diversas áreas), Gitanjali criou o dispositivo que usa nanotubos de carbono programados para detectar a presença de chumbo na água. O aparelho está conectado a um aplicativo de celular que mostra o status do líquido. O processo leva de 10 a 15 segundos, ela diz.

O dispositivo recebeu o nome de Tethys, deus grego da água, e demorou cinco meses para ficar pronto. Agora, ela pretende aprimorá-lo e, eventualmente, vendê-lo para qualquer pessoa que more em uma região que enfrenta o problema da contaminação.

Quando crescer, Gitanjali quer ser geneticista ou epidemiologista, áreas que podem trabalhar com casos assim. "Se você toma banho com água contaminada, pode ter irritação na pele e isso pode ser facilmente estudado por um epidemiologista. E se alguém bebe água com chumbo, os filhos dela podem ter complicações", diz.

"Eu estudei um pouco desses temas desde que fiquei interessada na área e então vim com esse dispositivo para ajudar a salvar vidas", declara a menina. (Estadão)




Publicado por: Daniel Campos - 01/11/2017 - 17:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.33/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.3/5 (3 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Cientistas criaram pela primeira vez embriões que contém uma combinação de células-tronco de duas espécies grandes e muito diferentes - humanos e porcos -, um passo importante em direção ao desenvolvimento de órgãos para transplante, revela um estudo nesta quinta-feira.

No entanto, a pesquisa ainda está em uma fase muito precoce e mostrou ser mais difícil do que o esperado, relataram os pesquisadores na revista científica Cell.

"Este é um primeiro passo importante", disse o autor principal, Juan Carlos Izpisua Belmonte, professor do Laboratório de expressão genética do Instituto Salk para Pesquisas Biológicas, na Califórnia.

"O objetivo final é desenvolver tecidos e órgãos funcionais e transplantáveis, mas estamos longe disso", acrescentou.
Cientistas implantaram células-tronco adultas humanas - conhecidas como células-tronco pluripotentes induzidas - em embriões de suínos e permitiram que elas crescessem por quatro semanas.

Mais de 150 embriões se desenvolveram em "quimeras" - como a mistura humano-animal é conhecida, em referência à figura híbrida da mitologia grega - que eram principalmente suínos, mas com um pequena contribuição humana. (France Presse)




Publicado por: Daniel Campos - 27/01/2017 - 10:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (16 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Fonte: Manual do Mundo



Publicado por: Daniel Campos - 12/12/2016 - 11:04:19  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.36/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (14 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Os dedos se movem rapidamente e acertam com precisão espantosa as pequeninas letras dispostas na tela do celular. A facilidade com que algumas pessoas digitam mensagens no aparelho pode dar a impressão de que essa ação é mais uma das várias possíveis de serem realizadas automaticamente, a ponto de realizá-la paralelamente a outras atividades. É aí que mora o perigo. Diferentes estudos mostraram que escrever no smartphone aumenta bastante a chance de um motorista se envolver em acidentes e impede até mesmo uma pessoa de caminhar normalmente.

Agora, uma pesquisa norte-americana, publicada recentemente na revista Epilepsy & Behaviour, parece ter encontrado uma explicação para a capacidade que o texting tem de sugar toda a atenção de uma pessoa: ele afeta o funcionamento do cérebro de uma maneira nunca observada antes. Liderado por William Tatum, pesquisador do Centro de Epilepsia da Clínica Mayo, nos Estados Unidos, o trabalho constatou que, ao digitar no celular, uma proporção considerável de indivíduos apresenta um ritmo de ondas cerebrais até então desconhecido.

As ondas cerebrais podem ser medidas por diferentes equipamentos, como o eletroencefalograma. Elas são basicamente um reflexo do que a pessoa pensa ou sente. Estados mais agitados, que exigem uma comunicação mais intensa entre os neurônios, produzem ondas de frequência maior, enquanto momentos de relaxamento deixam essas ondas mais lentas. No estudo, a equipe de Tatum avaliou, durante 16 meses, o cérebro de 129 pessoas enquanto elas realizavam uma série de tarefas, incluindo diferentes usos do celular e testes de atenção e função cognitiva. Os voluntários incluíam alguns indivíduos com epilepsia, uma vez que experimentos anteriores haviam mostrado ritmos distintos de atividade cerebral nesses pacientes. (Correio Braziliense)




Publicado por: Daniel Campos - 11/07/2016 - 11:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.53/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (15 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Um estudo sobre a relação entre o vírus da zika e os casos de microcefalia começa a ser realizado nesta terça-feira (16) na Paraíba, em uma parceria do Ministério da Saúde com 17 técnicos do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. A colaboração já tinha sido anunciada pela pasta e deve durar cerca de 50 dias.

Segundo o ministério, os técnicos vão coletar informações com mulheres que tiveram filhos recentemente na região, com e sem microcefalia. A Paraíba é o segundo estado com o maior número de casos suspeitos da malformação - foram 54 confirmados, 275 descartados e 427 sob investigação até esta terça.

O objetivo do estudo, segundo a pasta, é estimar uma proporção de recém-nascidos com microcefalia relacionada ao vírus da zika, além do risco de infecção pelo micro-organismo. Além dos 17 membros do CDC, nove técnicos do ministério e membros do governo local devem colaborar com a investigação.

Os pesquisadores norte-americanos também devem se reunir com autoridades locais e coletar amostras de sangue para exames complementares. Além do vírus da zika, a equipe deve testar a presença de causadores da microcefalia, como o citomegalovírus e a toxoplasmose. (Bem Estar)




Publicado por: Daniel Campos - 16/02/2016 - 20:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (19 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Em um marco para a física e a astronomia, cientistas de vários países anunciaram nesta quinta-feira (11) ter detectado de forma direta as ondas gravitacionais, ondulações do espaço-tempo que foram previstas por Albert Einstein há um século.

"Este passo marca o nascimento de um domínio inteiramente novo da astrofísica, comparável ao momento em que Galileu apontou pela primeira vez seu telescópio ao céu" no século XVII, disse France Cordova, diretora da Fundação Nacional Americana de Ciências (National Science Foundation), que financia o laboratório Ligo.

Dois buracos-negros se chocaram há 1,3 bilhão de anos. O cataclismo lançou estas ondas em todas as direções até que chegaram à Terra no dia 14 de setembro, onde foram captadas por instrumentos instalados nos Estados Unidos, informaram cientistas durante uma coletiva de imprensa em Washington.

A descoberta, que coroa esforços de décadas, confirma uma previsão feita por Albert Einstein em sua teoria geral da relatividade de 1915. (AFP)




Publicado por: Daniel Campos - 12/02/2016 - 11:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.33/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.3/5 (21 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Os pesquisadores observaram ao vivo o nascimento de um câncer num animal, desde a primeira célula afetada, e continuaram durante sua propagação, uma novidade que pode ajudar a compreender melhor o melanoma, um câncer de pele agressivo.

O estudo, publicado na quinta-feira pela revista "Science", pode abrir caminho para novos tratamentos que visam o tumor antes que ele comece a se desenvolver.

"O grande mistério é por que as células do organismo já têm mutações observadas no câncer, mas não se comportam como tal", explica Charles Kaufman, pesquisador do laboratório Zon no Hospital Infantil de Boston, principal autor do estudo.

"Descobrimos que o câncer é acionado na ativação de um agente cancerígeno ou na perda de um gene supressor de tumor, o que pode ocorrer quando uma única célula retorna ao estado de célula-tronco", conta.

Este processo envolve vários genes, que poderiam ser apontados para prevenir o câncer quando começa a se desenvolver, dizem os pesquisadores. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 30/01/2016 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.10/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.1/5 (21 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ano de 2015 foi, de longe, o mais quente no planeta desde que começaram os registros de temperatura no final do século 19, superando claramente o recorde de 2014, anunciaram nesta quarta-feira (20) a agência espacial Nasa e a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), dos Estados Unidos.

Um mês depois da Cúpula do Clima em Paris, onde governantes de todo o mundo se comprometeram a lutar contra o aquecimento global, os cientistas foram taxativos em anunciar a triste notícia. Para todo o ano de 2015, a temperatura média da Terra e dos oceanos foi 0,90°C acima da média do século 20, a mais alta já registrada desde 1880.

O recorde anterior, estabelecido em 2014, foi superado em 0,16°C. Dezembro também foi o mês mais quente já registrado em 136 anos. Nos Estados Unidos, dezembro de 2015 teve temperatura média de 38,6 graus Fahrenheit (3,67°C), seis graus acima da média do século 20, afirmou a NOAA.

Ao longo dos 12 meses do ano de 2015, dez bateram os recordes de temperatura individuais. Esta é a maior margem para um recorde anual em comparação com a marca de referência anterior. (France Presse)




Publicado por: Daniel Campos - 21/01/2016 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.06/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.1/5 (18 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Várias anomalias térmicas foram observadas em quatro grandes pirâmides perto do Cairo, entre elas a grande Pirâmide de Quéops, anunciou nesta segunda-feira (9) o ministro de Antiguidades em conferência de imprensa.

Estes primeiros resultados de análises térmicas realizadas desde o lançamento da missão "Scan Pyramids", em 25 de outubro, por cientistas egípcios, franceses, japoneses e canadenses abrir a porta a uma multiplicidade de interpretações.

Os cientistas "observaram uma quantidade de anomalias térmicas em todos os monumentos (...), mas um deles é particularmente impressionante. Ele está localizado no lado leste da pirâmide de Quéops, ao nível do solo", segundo um comunicado de imprensa.

Alguns blocos de pedras apresentam até 6 graus de diferença com os blocos vizinhos. Isso se traduz sobre as imagens da câmera térmica pelo surgimento das cores quentes, enquanto o resto do monumento é digitalizado cores frias de azul para magenta. (France Presse)




Publicado por: Daniel Campos - 10/11/2015 - 07:50:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.41/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (22 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Pesquisadores da Universidade de Leipzig, na Alemanha, analisaram o comportamento de dezenas de milhares de pessoas para tentar descobrir se a ordem de nascimento de uma criança influi na sua inteligência e sua personalidade.

Os cientistas contaram com 20 mil pessoas da Grã-Bretanha, Alemanha e Estados Unidos para verificar o quanto elas eram neuróticas, extrovertidas, abertas e simpáticas e concluíram que a personalidade não é afetada pela ordem de nascimento.

Mas, o estudo observou uma pequena diferença na inteligência - os irmãos mais velhos tendem a ser ligeiramente mais inteligentes dos irmãos mais jovens.

Os pesquisadores também descobriram que há diferenças na maneira como os irmãos pensam. Os mais velhos têm uma probabilidade maior de concordar com afirmações como "sou rápido para entender as coisas" do que os irmãos mais novos.

Estas pessoas também tinham uma probabilidade maior de dizer que acharam fácil compreender ideias abstratas e que tinham um vocabulário mais rico do que os irmãos mais novos.

Apesar de as razões para essas conclusões não estarem claras, pesquisas anteriores sugerem que elas podem estar mais ligadas ao status social do filho mais velho dentro da família do que a mudanças biológicas ocorridas no útero da mãe. (BBC)




Publicado por: Daniel Campos - 09/11/2015 - 16:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.10/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.1/5 (20 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O eclipse total da Lua pôde ser observado durante mais de uma hora neste domingo (27), por volta das 23h11 até 0h23 (horário de Brasília), do continente americano até o Oriente Médio. O astro, que não produz luz própria, aproveitando a que recebe do Sol, esteve alinhado com o Sol e a Terra.

Em seu ponto mais próximo da Terra, a Lua, grande e luminosa, ficou vermelha em um eclipse total, um fenômeno magnífico que só voltará a acontecer em 2033. Os admiradores que conseguiram contemplá-la foram presenteados com um espetáculo da natureza.

A Lua desapareceu do nosso campo de visão, privada dos raios solares, e reaparecereu pintada de vermelha - por isso, também é conhecida como "lua sangrenta" ou lua de sangue. A transmissão foi feita pelo site da redes de observatório Slooh e reproduzido no Youtube. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 28/09/2015 - 07:40:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.17/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (24 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Um grupo de pesquisadores apresentou nesta quinta-feira (10) na África do Sul os remanescentes fósseis de um primata que podem ser de uma espécie do gênero humano desconhecida até agora.

A criatura foi encontrada na caverna conhecida como Rising Star (estrela ascendente), 50 km a nordeste de Johanesburgo, onde foram exumados os ossos de 15 hominídeos. O primata foi batizado de Homo naledi. Em língua sotho, "naledi" significa estrela, e Homo é o mesmo gênero ao qual pertencem os humanos modernos.

Os fósseis foram encontrados em uma área profunda e de difícil acesso da caverna, na área arqueológica conhecida como "Berço da Humanidade", considerada patrimônio mundial pela Unesco. Por se situar num depósito sedimentar onde as camadas geológicas se misturam de maneira complexa, os cientistas ainda não conseguiram datar o primata descoberto, que poderia ter qualquer coisa entre 100 mil e 4 milhões de anos.

"Estou feliz de apresentar uma nova espécie do ancestral humano", declarou Lee Berger, pesquisador da Universidade Witwatersrand de Johannesburgo, numa entrevista coletiva em Moropeng, onde fica o "Berço da Humanidade". (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 10/09/2015 - 19:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.23/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (22 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), de Ribeirão Preto (SP), descobriram que substâncias presentes no guajiru - fruto amazônico que é normalmente consumido como suco e geleia - podem diminuir os riscos de câncer. Segundo a pesquisa, feita em parceria com uma universidade do Texas, a fruta tem um efeito anti-inflamatório sobre a doença.

Popularmente, as folhas do guajiruzeiro são utilizadas para chás que ajudam na diminuição dos níveis de glicose no sangue. Já o fruto é conhecido no meio científico por possuir compostos químicos importantes para prevenção de doenças.

Os testes com o guajiru em células com ou sem tumores começaram há três anos e os pesquisadores observaram que as substâncias presentes no fruto reduziram os danos em moléculas de DNA.

"Aqui no Brasil realizamos ensaios em ratos e verificamos a integridade do DNA desses animais e descobrimos que o fruto do guajizeiro diminui os danos induzidos", afirmou o pesquisador Vinicius de Paula Venâncio, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão (FCFRP). (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 24/08/2015 - 11:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.20/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Cientistas finalmente descobriram como o gene ligado à obesidade faz as pessoas ficarem gordas, uma grande descoberta que pode abrir as portas para uma nova abordagem do problema, que vai além de dietas e exercícios.

O estudo desvenda um grande mistério: desde 2007, pesquisadores já sabiam que um gene chamdo FTO estava relacionado à obesidade, mas não sabiam como, e não conseguiam ligá-lo ao apetite ou a outros fatores conhecidos.

Agora, experimentos revelam que uma versão defeituosa do gene faz com que a energia dos alimentos ingeridos seja armazenada como gordura, em vez de ser queimada. Um procedimento de manipulação genética em camundongos ou em células humanas no laboratório sugerem que isso pode ser revertido, oferecendo esperança de que uma droga ou outro tratamento possa ser desenvolvido para fazer o mesmo em pacientes.

O trabalho, conduzido por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade Harvard, foi publicado nesta quarta-feira (19) pelo site da revista "New England Journal of Medicine".

O estudo desvenda um grande mistério: desde 2007, pesquisadores já sabiam que um gene chamdo FTO estava relacionado à obesidade, mas não sabiam como, e não conseguiam ligá-lo ao apetite ou a outros fatores conhecidos.

Agora, experimentos revelam que uma versão defeituosa do gene faz com que a energia dos alimentos ingeridos seja armazenada como gordura, em vez de ser queimada. Um procedimento de manipulação genética em camundongos ou em células humanas no laboratório sugerem que isso pode ser revertido, oferecendo esperança de que uma droga ou outro tratamento possa ser desenvolvido para fazer o mesmo em pacientes.

O trabalho, conduzido por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade Harvard, foi publicado nesta quarta-feira (19) pelo site da revista "New England Journal of Medicine". (Associated Press)




Publicado por: Daniel Campos - 20/08/2015 - 14:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.52/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Universo está morrendo pouco a pouco, segundo uma equipe internacional de cientistas, que concluiu que a energia produzida atualmente por 200 mil galáxias é duas vezes menor que há dois bilhões de anos.

Os pesquisadores realizaram as medições mais precisas de energia já realizadas até agora em uma ampla zona do espaço.A energia produzida se dividiu em dois nos últimos dois bilhões de anos e não para de cair, concluíram.

"A partir de agora, o Universo está fadado ao declínio", explicou Simon Driver, membro do Centro Internacional de Pesquisas Radioastronômicas (ICRAR) da Austrália, que participou do projeto.

"O Universo se estirou no sofá, se cobriu com uma manta e se prepara para um sono eterno", acrescentou.

Os pesquisadores utilizaram sete dos telescópios mais potentes do mundo para observar durante oito anos galáxias em 21 longitudes de onda diferentes - como as infravermelhas ou as ultravioletas -, no âmbito do estudo Gama. (AFP)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2015 - 11:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.88/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.9/5 (26 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



No mundo da pesquisa energética, a tecnologia de captura de carbono é vista como uma das fronteiras finais: imagine se existisse um composto químico capaz de retirar todo o tipo de gás causador do efeito estufa da atmosfera. Os cientistas do Departamento de Energia dos Estados Unidos fizeram isso, ao identificar um novo material que não apenas captura CO2, mas o converte em combustível.

O novo composto foi chamado de tetrâmero de cobre e consiste em pequenos grupos de quatro átomos de cobre, unidos por uma camada fina de óxido de alumínio.

Os tetrâmeros de cobre se ligam ao CO2 e ajudam a acelerar sua conversão em metanol, que pode ser armazenado ou queimado em forma de combustível.

O sistema poderia ser instalado dentro de uma chaminé, por exemplo, capturando os gases do efeito estufa antes mesmo que eles fossem liberados na atmosfera.

Atualmente, o processo industrial usado para transformar dióxido de carbono em metanol usa um catalisador de cobre, óxido de zinco e óxido de alumínio.

Mas essa tecnologia é pouco eficiente, já que o número de átomos de carbono capturados pelo sistema é mínimo. Mas o catalisador criado pelos cientistas do governo americano ainda está longe de estar pronto para ser usado em larga escala.

Até agora, os cientistas conseguiram fabricar apenas pequenas quantidades do material, cuja durabilidade em longo prazo ainda é incerta.

"Existe uma chance de que os tetrâmeros de cobre se decomponham quando colocados em um ambiente industrial. Por isso, garantir sua durabilidade é um passo crítico para o futuro da pesquisa", afirma Larry Curtiss, pesquisador do Departamento de Energia americano que participou do estudo. (Exame)




Publicado por: Daniel Campos - 10/08/2015 - 19:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.74/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.7/5 (27 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Uma foto feita do espaço mostra a magnitude do supertufão Soudelor. O astronauta japonês Kimiya Yui publicou nesta terça-feira (4) o registro feito da Estação Espacial Internacional.

O supertufão, que passou no domingo (2) pelas Ilhas Marianas do Norte, no Oceano Pacífico ocidental, é considerado a maior tempestade de 2015, segundo informações da AFP. Ela atingiu a categoria 5, máxima para tempestades, e superou o ciclone Pam, considerado, até então, a mais forte do ano. A formação agora ruma em direção ao Japão, a Taiwan e à China.

A Nasa identificou ventos de mais de 250 km/h no Soudelor.

Em maio, o ciclone Pam passou por Vanuatu, país insular do Oceano Pacífico, e deixou 15 mortos.

Nenhuma morte foi atribuída à passagem do tufão Soudelor, mas a tempestade deixou um rastro de destruição nas Ilhas Marianas do Norte. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 05/08/2015 - 09:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.60/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.6/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Um apelido curioso: Lua Azul. Isso mesmo, mas não pense que ela vai ficar com cor azulada. A expressão foi dada há pelo menos 400 anos e é utilizada quando acontecem duas luas cheias no mês. Nesta sexta-feira (31), a segunda lua cheia vai ganhar o céu. A primeira ocorreu no dia 2 de julho. Os contempladores poderão observar o fenômeno em qualquer lugar. Porém, o mais indicado são em ambientes escuros ou com pouca luminosidade. Observatórios, praia e até mesmo a varanda do seu apartamento podem ser bons lugares para observar o fenômeno, que fenômeno ocorre de três em três anos. Só voltará a acontecer em janeiro de 2018. A última Lua azul ocorreu no dia 31 de agosto de 2012.

O astrofísico e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (URFPE), Antônio Carlos Miranda, explicou que o momento é bastante importante. "Quando acontece algo desse tipo desperta a curiosidade das pessoas, elas passam a contemplar o céu, refletem sobre o conhecimento científico, procuram mais respostas sobre a constelação e até estudam o assunto", disse.

Segundo o Coordenador do Observatório Astronômico do Alto da Sé, Alexandre Evangelista da Silva, a lua vai estar mais próxima da terra, cerca de 20 quilômetros. "A lua não aparece igual em todos os lugares. À medida que ela gira em torno da terra, sua posição provoca mudança na área que esta iluminada ou escura", disse. Ele também ressaltou que neste período ela fica mais brilhante, o que acaba atraindo mais a atenção das pessoas. O Observatório Astronômico do Alto da Sé é aberto para visitação de terça a domingo, das 16h às 20h. (Folha de Pernambuco)




Publicado por: Daniel Campos - 31/07/2015 - 19:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.04/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Nesta sexta, o Centro de Convenções de Petrolina abriu espaço para a 1ª edição da Feira de Ciências do Município. A mostra, que será anual, contou com mais de 105 estudantes inscritos, da sede e do interior da cidade. Vários projetos tinham como princípio soluções alternativas para o meio ambiente e a crise hídrica na região do Vale.

Participaram da exposição alunos do Ensino Fundamental das escolas públicas municipais, além dos professores orientadores, que deram uma força no desenvolvimento dos projetos. O evento recebeu visitantes na maioria da Rede Municipal de Ensino.

Com duas linhas de pesquisas - tecnologia e maio ambiente e utilidades práticas do dia a dia -, os organizadores e o público puderam ver 19 experimentos com essas temáticas. Um dos inscritos, o aluno Murilo Aquino, 13, da escola Félix Manoel dos Santos, do povoado de Tapera, demonstrava ansiedade para expor a criação de sua equipe, a energia eólica. "Desde pequeno eu sou chegado nisso [desenvolver projetos]. Estou muito emocionado em poder mostrar nossa maquete", afirma.

Muitas das experiências apresentadas, hoje (31), foram desenvolvidas com material de pouco gasto e reutilizados. É o caso do produto dos alunos Alexsandro Macedo, 13, Luan da Silva, 13, Mateus Silva e Lima, 14, e Douglas da Silva Santos, 13, da escola José Esmerindo Ribeiro, do Km 25. Os discentes criaram um braço mecânico que se movimenta a partir da pressão da água. Segundo eles, a ideia do projeto partiu da estrutura de uma retroescavadeira.

"Nós o construímos com seringas, madeira, dobradiças e parafusos; a partir disso, usamos a pressão d'água que o faz se mover", diz Alexsandro. "Nós temos o intuito de continuar no projeto; fazer ele pegar mais peso. Melhorá-lo", completa Mateus.

O Secretário Municipal de Educação, Cel. Heitor Leite, visitou todos os estandes da Feira de Ciências e disse estar impressionado com a criatividade dos jovens cientistas. "Tenho me impressionado com a qualidade, com a criatividade, e muito, com a maneira como cada aluno, apesar de jovem, está conseguindo se comunicar. Não adianta a gente ter o produto e não saber verbalizar o que está fazendo. E cada grupo que se apresenta tem-me encantado com a simpatia com que se comunicam", itera.

Os trabalhos expostos na feira foram avaliados por uma banca composta por professores da Rede Estadual da Bahia, particular de Petrolina e Superior. O resultado das três melhores experiências de cada linha de pesquisa será divulgado no dia 15 de agosto, pela Secretaria de Educação.

A mostra tem o apoio do Instituto Federal -IF Sertão, Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária (Embrapa), Núcleo Municipal de Estudo das Ciências e Educação (NUMEC), e do Exército Brasileiro, que também expuseram no evento. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 31/07/2015 - 16:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.32/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.3/5 (28 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Sabendo que o meio ambiente é finito e limitado, tendo seus recursos constantemente explorados, a educação ambiental se faz necessária para a conscientização para preservar as riquezas naturais. Pensando assim, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) realiza a técnica de taxidermia em animais que vão a óbito nos recintos da instituição e os adicionam a coleções científicas de cada grupo de fauna e à ala de exposição do Museu de Fauna da Caatinga.

Taxidermia, do grego significando "dar forma à pele", é a arte de preservar animais para exibi-los com a aparência de quando ainda estavam vivos, cuja técnica tem registros antigos que remontam ao império egípcio. O animal e também seu habitat são reconstituídos o mais fielmente possível para que possam servir de instrumentos para educação ambiental ou como material didático.

No Cemafauna, o médico veterinário Fabricio Silva é o taxidermista responsável por todo o processo. O objetivo dessa técnica é fomentar a formação de uma consciência ambiental para os mais diversificados tipos de público que visitam o Museu de Fauna. "O nosso legado é além das descobertas e estudos científicos que realizamos ao longo desses anos de atuação. Nós temos um compromisso com a conservação da fauna do bioma e para isso também é que temos esses animais taxidermizados em nosso Museu. É importante fazer com que as pessoas se conscientizem do papel de cada animal na natureza, respeitá-los e compreender que são essenciais para o equilíbrio do meio ambiente", ressalta Luiz Cezar.

O primeiro animal que passou por esse procedimento no Cemafauna, um marsupial, está datado em 28 de outubro de 2009, e foi preparado pelo coordenador do centro, o professor Luiz Cezar Pereira que transmitiu os conhecimentos ao então estagiário e hoje médico veterinário Fabrício Silva. O veterinário explica que todos os animais que vêm a óbito no Centro, ou porque já chegaram debilitados ou ainda porque desenvolveram alguma patologia são encaminhados ao Laboratório de Taxidermia e passam pelo processo tradicional usando algodão e palha e o bórax como substância para conservar a pele. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 22/07/2015 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.24/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



«Primeira «Recentes [1] 2 3 4 5 ... Antigas» Última»