Daniel no Rádio



O Sindicato do Comércio Varejista de Petrolina (Sindilojas) vem, por meio desta nota, lembrar que no próximo dia 15 de Agosto (terça-feira), feriado municipal em homenagem à padroeira do município, Nossa Senhora Rainha dos Anjos; o comércio estará fechado. Os estabelecimentos que eventualmente queiram funcionar, deverão ficar atentos às cláusulas previstas em acordo coletivo.
Para qualquer informação, entrar em contato através do telefone 87 3861 2333 ou através do email sindilojaspetrolina@gmail.com.

Ascom Sindlojas




Publicado por: Daniel Campos - 12/08/2017 - 07:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.91/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.9/5 (11 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A Petrobras reduzirá os preços do diesel em 1,2 por cento e elevará os da gasolina em 1,6 por cento nas refinarias a partir deste sábado, dia 12 de agosto, de acordo com comunicado divulgado pela companhia em seu site nesta sexta-feira.

Os reajustes fazem parte da nova política de preços da estatal, que prevê alterações quase que diárias nas cotações.

Agência Brasil/Reuters

 




Publicado por: Daniel Campos - 12/08/2017 - 06:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.20/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (10 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A pesquisa realizada pelo Colegiado de Economia da Facape, na comparação dos meses de junho e julho, apresenta deflação no Índice de Cesta Básica (ICB), em Petrolina e Juazeiro. Na cidade pernambucana, a queda no valor da cesta básica foi de 1,13%, enquanto no município baiano a redução chegou a 2,57%.

A soma dos produtos básicos totaliza um valor de R$ 314,60 em Juazeiro e de R$ 329,83 em Petrolina, que chama atenção, no acumulado dos últimos doze meses, com uma deflação de 1,80%. Já de janeiro a julho, os cálculos da cidade indicam inflação de 3,40%.

Dentre os produtos da cesta básica, carne, tomate, pão francês e banana representam percentualmente o maior valor no total do custo. Desses, apenas a carne teve aumento no seu preço médio no mês.

De acordo com o colegiado de Economia da Facape, a tendência nacional é de redução dos preços por um crescimento da oferta. Para o tomate, espera-se que os preços se elevem ainda mais pela baixa oferta, aumentando seu valor no mês de agosto.

A banana, depois do forte aumento em maio, continua sua trajetória de redução dos preços em julho, como ocorreu em junho. Em julho a queda dos preços ocorreu com maior intensidade devido à maior oferta do produto. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 23:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.17/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (12 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta sexta-feira (11) um aumento de cinco pontos percentuais no limite de empenho para custeio e investimento de todas as universidades e institutos federais. Assim, o limite do custeio, utilizado para a manutenção das instituições de ensino, passou de 70% para 75% e o limite de capital, usado para adquirir equipamentos e fazer investimentos, foi de 40% para 45%.

Para garantir o aumento, o MEC liberou R$ 450 milhões para universidades e institutos federais, elevando o total disponibilizado este ano para R$ 4,8 bilhões. O aumento foi anunciado pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em reunião com a nova diretoria da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes). Segundo o ministro, a meta do governo é concluir o ano com a liberação de 100% do limite de custeio, como ocorreu no ano passado.

Para 2017, o limite de empenho previsto inicialmente para as universidades é de 85% do valor previsto para despesas de custeio e de 60% para despesas de capital. No entanto, o MEC diz que está trabalhando para aumentar esse limite, assim como fez em 2016, quando, mesmo após o bloqueio [de verbas] feito pelo governo anterior, conseguiu liberar 100% de custeio para as universidades. (ABr)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 22:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.33/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.3/5 (15 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A Prefeitura de Petrolina abriu inscrições para processo seletivo para a contratação de 204 estagiários remunerados. As vagas são para níveis médio, técnico e superior nas seguintes áreas: Administração; Arquitetura; Ciências Contábeis; Ciências da Computação; Jornalismo, Publicidade e Propaganda; Direito; Economia; Educação Física; Engenharia Agronômica; Engenharia da Computação; Engenharia Química; Geologia; Pedagogia; Comunicação Social; Serviço Social; Magistério; Técnico em Administração; Técnico em Alimentos; Técnico em Edificações; Técnico em Agricultura; Técnico em informática.

Os estagiários selecionados, que cumprirão carga de seis horas diárias, receberão uma bolsa de R$500, além de auxílio transporte. As inscrições serão realizadas, exclusivamente, pelo site da Facape (www.facape.br), até as 18h do dia 25 de agosto deste ano. O processo seletivo será composto de uma única etapa de caráter classificatório e eliminatório que será uma prova objetiva com 30 questões do tipo múltipla escolha, para outras informações, o candidato deve acessar o edital (http://www2.petrolina.pe.gov.br/new/diariooficial.html)


Poderão participar desse processo seletivo os estudantes de nível superior que estejam cursando a partir do 3° período; os estudantes dos níveis médio e técnico que estejam cursando a partir do 1° ano de curso e os estudantes do normal médio que estejam cursando a partir do 2° ano.

Todas as informações relativas à seleção, editais, comunicados, convocações, avisos, resultados, homologação, e eventuais alterações no edital serão publicados no Diário Oficial do Município e no site da Facape, sendo de inteira responsabilidade do candidato o acompanhamento das publicações. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 21:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.70/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.7/5 (10 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O deputado federal Sergio Zveiter (PMDB-RJ) pediu nesta sexta-feira (11) desfiliação do PMDB. O pedido foi entregue ao diretório do partido no Rio de Janeiro.

Em julho, Zveiter apresentou à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara parecer favorável ao prosseguimento da denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer.

O pedido de desfiliação do deputado ocorre um dia após o PMDB anunciar a suspensão das funções partidárias dos parlamentares que se posicionaram contra Temer na análise da denúncia, entre os quais Zveiter. Com a decisão, seis deputados serão retirados de comissões em que representam o partido.

"Após a divulgação do parecer de minha relatoria, passei a sofrer ameaças de represálias e ameaças de expulsão oriundas da direção do partido e de outros membros do PMDB que atuaram em prol do arquivamento sumário das denúncias", afirma o deputado no pedido de desfiliação.

Zveiter está no segundo mandato de deputado federal. Quando foi reeleito para a atual legislatura, era filiado do PSD e, em março de 2016, se transferiu para o PMDB. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 20:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.30/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.3/5 (10 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Durante uma ronda de rotina, o Grupamento Tático Motorizado (GTM) da Guarda Civil Municipal de Petrolina (GCM) efetuou a prisão de um acusado de tráfico de drogas, por volta das 22h, nas proximidades da rodoviária da cidade. Com o homem, identificado como Rafael Siqueira, de 27 anos, morador de rua, foram encontradas 18 pedras de crack. Agressivo, ele ainda tentou resistir à prisão, mas foi contido pelos Guardas Municipais com o auxílio do armamento não-letal.

Em seguida, Rafael foi conduzido até a delegacia da Polícia Civil do bairro Ouro Preto para a tomada das medidas legais que o caso requer. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 19:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.80/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (10 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Juazeiro recebeu esta semana uma das Unidades Móveis de Atendimento às Mulheres do Campo que integram as ações do Programa "Mulher: Viver Sem Violência", do governo do estado. Os distritos de Mandacaru, Salitre e Pinhões foram beneficiados com atendimento de uma equipe multidisciplinar da Secretaria de Políticas para Mulheres do Estado (SPM). A vinda da unidade foi possível através de uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES).

O ônibus lilás, como é conhecido, é adaptado para levar às mulheres que vivem na zona rural o acesso aos serviços especializados da Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência. "A gente vem com uma equipe técnica multidisciplinar, incluindo advogada, assistente social e psicóloga, fazendo atendimento jurídico e psicossocial. Atendemos a essas mulheres e as encaminhamos à secretaria responsável, no caso de Juazeiro, a SEDES, que dará encaminhamento aos casos através do Centro Integrado e Atendimento à Mulher", afirmou a coordenadora da ação, Jaqueline Carvalho.

O veículo é equipado com duas salas para o atendimento individual, geradores de energia, ar condicionado, copa e banheiro adaptados para a acessibilidade de pessoas com deficiência. A equipe da SPM é composta por profissionais aptas a prestarem acolhimento humanizado e eficiente às mulheres do campo. "Muitas mulheres nem sabem que sofrem algum tipo de violência, então nosso objetivo é tentar falar com uma linguagem mais próxima possível e identificar através de uma conversa prévia as possíveis vítimas. Por isso, antes do atendimento com os profissionais específicos fazemos uma roda de conversa para que haja aproximação e criação de uma relação de confiança", comentou a psicóloga Mariana Paixão.

A dona de casa Mônica Santos acompanhou a roda de conversa e gostou do bate-papo. "Espero que o ônibus volte mais vezes e que possa ajudar às mulheres que sofrem com violência e ainda não têm coragem de denunciar", disse.

A secretária Cida Gama destacou a parceira entre estado e município. "Acreditamos ser importante essa parceria e isso só vem a fortalecer as políticas públicas de enfrentamento à violência doméstica e familiar. O ideal era que não precisássemos, mas havendo essa necessidade o município estará sempre disponível para contribuir e consolidar essa rede de enfrentamento à violência", destacou a secretária Cida Gama.

Além dos serviços oferecidos através do programa da SPM, a SEDES também disponibilizou equipes do Bolsa Família para atendimento nas comunidades. (Ascom0




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 18:24:20  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.5/5 (6 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Tecnologia e Judô, qual o elo entre os dois? Cynthia Silva tem a resposta. Judoca e estudante do curso de Ciência da Computação, a jovem de 22 anos consegue unir a paixão pelo esporte aos estudos de dados, software e programações. Atleta que representa a Facape e a Marinha do Brasil em competições estaduais, nacionais e internacionais, Cynthia treina desde os oito anos de idade e desde 2012 luta judô profissionalmente.

Representando a Facape, recentemente a judoca foi campeã dos Jogos Universitários de Pernambuco, realizado em Recife. A colocação da atleta deixou a Faculdade em 2º lugar no quadro geral do campeonato. Agora, Cynthia segue para representar a Instituição nos Jogos Universitários Brasileiros, que acontecerão em outubro em Goiânia-GO.

Ao longo de cinco anos Cynthia acumula participação em competições como o Panamericano de Judô, que aconteceu este ano no Peru e alcançou a 5º posição. A jovem sonha alto e seu maior objetivo é representar o Brasil nas Olimpíadas e para isto se dedica a uma rotina intensa de treinos.

A Facape tem sido uma incentivadora para Cynthia alcançar seu sonho. A Faculdade apoia a estudante, oferecendo uma bolsa mensal. Para o presidente da Facape, Antonio Habib, esta é a forma que a Faculdade encontrou de estimular a prática de esporte, sem que os jovens abandonem os estudos. A bolsa foi concedida durante a gestão do Prof. Rinaldo Remígio. "Sabemos da luta de Cynthia e tantos outros atletas que desejam se profissionalizar. Infelizmente o apoio ao esporte ainda é pequeno e aqui encontramos uma forma de estimulá-la a seguir seus dois sonhos: fazer faculdade e continuar lutando judô", diz o presidente.

Cynthia se inspira em lutadoras como Majlinda Kelmendi, de Kosovo, medalhista olímpica no Rio 2016. Ser canhota e um de país que não tem tradição em um esporte como Judô aproxima a história das duas. "Admiro muito Majlinda porque tudo que ela conquistou foi através do esporte", afirma Cynthia, que além das lutas que enfrenta nos tatames, precisa batalhar para continuar seguindo em busca de seus sonhos. (Ascom)




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 17:05:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.43/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (14 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O número de beneficiários pagos pelo Bolsa Família em julho registrou a maior redução em relação a um mês anterior desde o lançamento do programa, em 2003. Entre junho e o mês passado, o número de benefícios encolheu em 543 mil famílias. Segundo fiu apurado, o corte inclui suspensões para avaliação e cancelamentos.

Ao todo, o programa pagou 12.740.640 famílias em julho. O número de bolsas pagas foi o menor desde julho de 2010, quando foram pagas 12.582.844 bolsas. Se compararmos julho de 2014 com o mesmo mês de 2017, houve uma redução de 1,5 milhão de bolsas pagas.

Mesmo com os cortes, ainda há mais de meio milhão de famílias na lista de espera para ingressar no programa, sem previsão. Questionado pela reportagem, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário culpou a política econômica dgoverno Dilma Rousseff (2011-16) pela redução.

UOL Notícias

Até então, o maior corte tinha ocorrido entre os meses de janeiro e fevereiro de 2013, após o fim de um recadastramento do governo federal. Naquela ocasião, houve 278 mil benefícios pagos a menos.

Quando foi lançado, em 2003, o programa atendia 3,6 milhões de famílias --a maioria já recebia benefícios menores que foram extintos, como o Bolsa Alimentação, o Vale Gás e o Bolsa Escola.

O corte no pagamento de julho pegou muitos beneficiários de surpresa. Na segunda-feira (7), a reportagem do UOL visitou a central do Cadastro Único e do Bolsa Família em Maceió, onde 55,2 mil famílias dependem do pagamento. O município também teve corte no número de beneficiários: em junho, eles eram 57,4 mil.

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 15:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.17/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (12 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Dois trens colidiram na cidade costeira egípcia de Alexandria nesta sexta-feira, deixando 21 mortos e 55 feridos, informaram duas fontes de segurança e uma fonte médica.

Reuters

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 14:45:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.69/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.7/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A Coreia do Norte é um Estado isolado, empobrecido, mas altamente militarizado. Seus líderes têm um objetivo principal: a sobrevivência. É por isso que o país investiu pesado em seu programa nuclear e de mísseis, como uma apólice de seguro definitiva para o regime.
Qualquer uso de sua capacidade nuclear seria catastrófica - especialmente para a própria Coreia do Norte. O regime não sobreviveria a um conflito.

Mas essa perspectiva tenebrosa não é necessariamente a preocupação imediata. E, sim, a ameaça de que a crescente guerra verbal entre Washington e Pyongyang passe de retórica para realidade.

A Coreia do Norte é um país que recorreu alguma vezes ao uso da força no passado e poderia fazê-lo novamente. Em março de 2010, acredita-se que o país tenha afundado um pequeno navio de guerra sul-coreano. No mesmo ano, sua artilharia bombardeou uma ilha sul-coreana e, se a crise atual se mantiver em ebulição, é provável que a Coreia do Sul seja um dos alvos da ira do norte.

O Exército da Coreia do Norte tem vantagem numérica sobre as tropas do sul e está baseado perto da Zona Desmilitarizada (DMZ, na sigla em inglês), que marca a fronteira entre as duas Coreias. É sugerido com frequencia que as forças de artilharia e os mísseis (maior trunfo) da Coreia do Norte poderiam arrasar Seul, capital sul-coreana, em apenas algumas horas após o início de um conflito.

Mas, na verdade, não é bem assim. Seul fica a cerca de 40 quilômetros da DMZ e só pode ser atingida pelas peças de artilharia de maior alcance da Coreia do Norte. Um disparo revelaria a posição dos norte-coreanos - muitos não têm grande mobilidade -, deixando-os vulneráveis a ataques do sul.

Já a Coreia do Sul tem, de longe, vantagem qualitativa e é respaldada pelo vasto poder de ataque do Exército dos Estados Unidos. Qualquer reprise da Guerra da Coreia - conflito armado que começou quando a Coreia do Norte invade o Sul em 1950 - resultaria em um grande número de vítimas civis (certamente muitos estudantes e empresários chineses que moram em Seul), mas acabaria inevitavelmente em tragédia para o regime norte-coreano.

Por sorte, uma segunda edição desta guerra é pouco provável. Mas o perigo é que o Norte pretenda usar suas forças militares para provocações ou outras estratégias que possam precipitar um conflito mais generalizado.
Independentemente do alcance de suas forças de artilharia e mísseis, o Norte possui um vasto arsenal químico. Também pode ter armas biológicas. E tem um grande número de forças especiais altamente treinadas e unidades destinadas a se infiltrar no sul. Está desenvolvendo ainda capacidade para ataque cibernético.

Sendo assim, há muitos meios pelos quais o país pode lançar uma ofensiva militar. Mas qualquer ataque contra os EUA ou seus aliados no contexto atual põe em risco uma guerra mais generalizada. E assumindo que o regime de Pyongyang não é suicida - apesar de muitos argumentarem o contrário, este não é um regime irracional -, os líderes norte-coreanos devem estar cientes dos riscos que correm.
Do ponto de vista da Coreia do Norte, ter uma arma nuclear e capacidade para lançar mísseis balísticos intercontinentais que mantenha sob ameaça o território continental dos Estados Unidos, é inteiramente racional. A queda das ditaduras no Iraque e na Líbia, argumentariam os norte-coreanos, foi em grande parte porque os dois países não recorreram à arma derradeira.

Arriscar uma guerra total com os Estados Unidos, que só poderia terminar com o fim do regime, não faz sentido. Qualquer guerra na península coreana colocaria Washington em vantagem. As forças norte-coreanas seriam canalizadas para o sul com avanço limitado, devido à topografia da região, e o Pentágono poderia empregar estratégias clássicas de batalha por ar e terra para derrotá-los.

Essa guerra é, no entanto, impensável. Não é do interesse de nenhum dos lados. O risco agora é inteiramente de mal-entendidos, erros de cálculo e ações tomadas com base em sinais retóricos atrapalhados e confusos. Os norte-coreanos costumam se comunicar em alto e bom som. Os EUA precisam agora ser cautelosos em relação ao tom de sua própria mensagem.

BBC Brasil

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 14:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.36/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (11 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



As escolas de educação básica deverão obedecer a padrões mínimos de construção, segundo o Projeto de Lei do Senado (PLS) 525/2009, que está na pauta da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) na terça-feira (15). O projeto tem voto favorável da relatora, senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), na forma de um substitutivo.

De autoria do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), o projeto prevê que a União terá que definir as condições adequadas de funcionamento para as escolas, relativas à construção e aos materiais pedagógicos. O objetivo é garantir um padrão mínimo nacional de qualidade do ensino em todos os níveis educacionais.

A relatora apenas alterou uma previsão no projeto original de que governadores e prefeitos que não fizessem essa cobrança às suas redes de ensino poderiam ser punidos com a inelegibilidade para mandatos futuros e para outros cargos. Segundo Marta, essa norma poderia ser contestada na Justiça, e, por isso, ela retirou a punição do texto. O projeto é terminativo na CE.

Feriados

Outra proposta na pauta da CE é o PLS 389/2016, que trata da antecipação de feriados. O projeto estabelece que os feriados nacionais serão comemorados antecipadamente nas segundas-feiras. Ficam fora dessa regra os seguintes feriados: 1º de janeiro, Carnaval, Sexta-feira Santa, Dia do Trabalho, Corpus Christi, 7 de Setembro, 12 de Outubro, Natal, e os que ocorrerem aos sábados e domingos. O projeto, do senador Dário Berger (PMDB-SC), tem voto favorável do relator, senador Hélio José (PMDB-DF).

AgênciaSenado

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 13:45:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.40/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.4/5 (15 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Três anos após a morte de Eduardo Campos, a família do ex-governador de Pernambuco está rachada. Hoje, ela se divide em três correntes políticas: uma do irmão, Antônio; outra do filho e da mulher, João e Renata; e uma terceira via, com a prima Marília.

Eduardo morreu no dia 13 de agosto, quando o avião em que fazia campanha para presidente da República caiu em Santos, no litoral paulista; outras seis pessoas morreram. O pernambucano, então com 49 anos, ocupava a terceira posição nas pesquisas com 9% das intenções de voto.

Na família, o cenário atual é de troca de críticas e de disputa por um poder que surgiu há décadas: a "dinastia" começou com o avô, Miguel Arraes (1916-2005), ex-prefeito de Recife e governador de Pernambuco por três vezes.

De um lado está o advogado Antônio Campos, único irmão de Eduardo. Neste ano, ele saiu do PSB - partido do clã desde 1990 e que completa 70 anos neste mês- e se filiou ao Podemos. Nas eleições de 2018, Antônio vai concorrer a deputado federal.

Na disputa, ele enfrentará o próprio sobrinho, João Henrique Campos, um dos cinco filhos de Eduardo. O jovem é visto como o sucessor político de Eduardo Campos. Recém-formado em engenharia civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele tem 23 anos e assumiu, em fevereiro, o cargo de chefe de gabinete do atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).
Nesse aspecto, o jovem repetiu a história do pai, que, também aos 22 anos, virou chefe de gabinete do então governador Miguel Arraes, em 1987.
No dia de sua posse no governo, João afirmou que "ninguém deve ser pré-julgado por ser filho de A ou de B, deve ser julgado pelo serviço prestado."

A terceira corrente é encabeçada por Marília Arraes, prima do ex-governador e, como ele, neta de Miguel Arraes. Vereadora do Recife, ela rompeu politicamente com a família ainda quando Eduardo concorria à Presidência, em 2014. Deixou o PSB, filiou-se ao PT, e deve ser a candidata do partido de Lula ao governo de Pernambuco.

Ana Arraes, mãe de Eduardo, também tem sido cortejada como parceira de chapa de pelo menos dois presidenciáveis. A BBC Brasil apurou que, dentro do PSB, o nome da matriarca é cogitado para dividir uma possível chapa com Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência. Para isso, no entanto, ela teria de deixar o cargo de ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), cadeira que assumiu durante o governo de Dilma Rousseff.

'Eduardismo'

Segundo Adriano Oliveira, cientista político e professor da UFPE, a imagem de Eduardo Campos ainda influencia a escolha do eleitor pernambucano. Por isso, a briga por seu legado.

O pesquisador explica o "eduardismo", conceito que ele associa ao lulismo: "Eduardo conseguiu ser uma quase unanimidade: tinha eleitores em todas as faixas sociais, dos mais ricos aos mais pobres. Ele era carismático, tinha capacidade de aglutinar pessoas de várias vertentes e passava a imagem de trabalhador", explica ele.

BBC Brasil




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 13:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.85/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou o Projeto de Lei 6472/16, do deputado Francisco Floriano (DEM-RJ), que amplia as situações de uso da tornozeleira eletrônica.

Pelo texto, o juiz poderá determinar a monitoração eletrônica quando aplicar pena restritiva de liberdade a ser cumprida nos regimes aberto ou semiaberto; e quando aplicar pena restritiva de direitos que estabeleça limitação de horários ou frequência a determinados lugares.

A tornozeleira também poderá ser usada nos casos de liberdade condicional ou suspensão condicional da pena (também chamada de sursis, é aplicada a condenados com penas baixas).

O projeto altera a Lei de Execução Penal (7.210/84), que autoriza o juiz definir o uso da tornozeleira somente em duas situações: para autorizar a saída temporária no regime semiaberto ou em caso de prisão domiciliar.

Nova versão
O projeto foi aprovado na forma de um substitutivo apresentado pelo deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG).

Em relação ao texto original, do deputado Campos, a nova versão acrescenta outras hipóteses para o uso da monitoração eletrônica.

Além disso, Gonzaga amplia as consequências possíveis, ao condenado que utiliza a tornozeleira, em caso de violação dos deveres. O substitutivo permite, por exemplo que o juiz revogue a suspensão condicional da pena ou o livramento condicional. Já a pena restritiva de direitos (como multa e prestação de serviço) poderá ser convertida em pena privativa de liberdade (detenção ou reclusão).

AgênciaCâmara

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 12:22:40  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.62/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.6/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Até o final de agosto, a Caixa Econômica Federal (Caixa) vai creditar R$ 7,8 bilhões nas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de 88 milhões de trabalhadores, como distribuição dos resultados do fundo. Com isso, a rentabilidade das 245,7 milhões de contas chegará a 7,14%.

Segundo dados divulgado em cerimônia no Palácio do Planalto, o lucro líquido do FGTS no ano passado foi de R$ 14,555 bilhões. Com a distribuição dos resultados do fundo, serão creditados, em média, R$ 29,62 em cada conta.

"É a primeira vez que o lucro do fundo está sendo distribuído com os verdadeiros donos do dinheiro", ressaltou o presidente Michel Temer.

"São décadas que os trabalhadores lutam para ter a remuneração do seu FGTS no mesmo nível da inflação. Com essa mudança, o FGTS terá 7,1% [de remuneração] e a inflação do ano passado foi de 6%. Depois de décadas o FGTS terá uma correção acima da inflação", disse o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

É a primeira vez que os resultados do FGTS são repassados aos trabalhadores. A medida foi instituída pela medida provisória que liberou o saque do valor das contas inativas do FGTS.

Pela regra, o percentual de distribuição de resultado do FGTS é de 50% do lucro líquido do exercício anterior. A lei estabelece que os valores creditados nas contas dos trabalhadores sejam proporcionais ao saldo da conta vinculada apurada no dia 31 de dezembro do ano anterior.

O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, informou que a distribuição dos resultados do FGTS ocorrerá anualmente, com os depósitos sendo efetuados sempre até o dia 31 de agosto. Occhi disse ainda que a remuneração não fará parte do cálculo de uma multa rescisória. "Essa medida foi pensado no empregadores. Temos convicção que com essa medida o trabalhador e a sociedade saem ganhando com essa decisão."

De acordo com a Caixa, com a distribuição dos resultados do equivalente a 1,93%, a rentabilidade das contas do FGTS, nesse ano, sairá de 5,11% ao mês (3% mais TR), para 7,14% ao mês.

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 09:15:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.63/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.6/5 (16 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A cartilha "Novo Ensino Médio: o que é importante saber?", que busca responder às principais dúvidas de estudantes sobre o assunto, foi lançada em evento na Biblioteca do Senado. A publicação, produzida pelo senador Pedro Chaves (PSC-MS), será distribuída em escolas de todo país.

O senador explicou que a primeira edição da cartilha tem 30 mil exemplares, que serão distribuídos gratuitamente nas escolas. Pedro Chaves anunciou que será lançada em breve uma versão eletrônica, para que o conteúdo da cartilha seja acessado pela internet.

A nova configuração do ensino médio brasileiro foi estabelecida pela Medida Provisória (MPV) 746/2016, da qual o senador Pedro Chaves foi relator no Congresso. Previsto para ser implantado em 2019, o novo ensino médio passa a ter três disciplinas obrigatórias e não mais 13.

As mudanças incluem aulas em tempo integral e a formação técnica de nível médio durante o tempo regular de estudo. A implantação da reforma depende ainda da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), um conjunto de orientações que deverá nortear os currículos.

Agência Senado

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 08:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.53/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (17 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Em 2017, o Brasil ganhou duas novas leis que apoiam o aleitamento materno. A Lei 13.435, que cria o Agosto Dourado, e a Lei 13.436, que trata da orientação às mães lactantes nas redes pública e privada de saúde.

Na opinião da consultora do Senado Roberta Viégas, que coordena o Observatório da Mulher Contra a Violência, são duas conquistas importantes para consolidar a cultura da amamentação no país, que ainda enfrenta muitos obstáculos.

A Lei 13.435 transforma o mês de agosto no mês do aleitamento materno, o que abre a oportunidade para ações de conscientização sobre a importância da amamentação. O projeto que deu origem à lei é da deputada Dulce Miranda (PMDB-TO). No Senado, a matéria foi relatada pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Orientação

A Lei 13.436 garante às lactantes acompanhamento e orientação sobre aleitamento nas unidades de saúde das redes pública e privada. Roberta Viégas observa que há mães que desistem de amamentar por falta de apoio do companheiro, da família ou de orientação técnica.

A lei que garante orientação às lactantes nos estabelecimentos de saúde nasceu de um projeto do deputado Diego Garcia (PHS-PR), relatado no Senado por Fátima Bezerra (PT-RN).

Constrangimento

Entre os projetos que podem gerar novas leis sobre aleitamento materno, está o de Vanessa Grazziotin (PCdoBAM) que veda claramente o constrangimento a mulheres que amamentem em público.

Depois de uma mãe ter sido repreendida por amamentar no Sesc Belenzinho, em São Paulo, a cidade ganhou lei para proteger a amamentação em público. O mesmo se deu com Rio de Janeiro e Belo Horizonte e os estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso.

Agencia Senado




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 08:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.86/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.9/5 (14 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A deputada Leandre (PV-PR) afirmou que o Congresso Nacional, ao elaborar o Orçamento da União, deve levar em conta o aumento dos casos de demência no País e garantir dinheiro para as políticas públicas de prevenção dessas doenças, em especial do Mal de Alzheimer.

Por sugestão da parlamentar, o tema foi discutido em audiência pública, último dia 09, na Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados.

Entre as políticas públicas sugeridas na audiência estão a criação de unidades especializadas no atendimento das demências e de centros de convívio para os pacientes. Também foi destacada a necessidade de ações governamentais para capacitar cuidadores para os portadores dessas doenças.

O geriatra Otavio Castelo lembrou que as causas do Alzheimer ainda são desconhecidas e que os remédios amenizam os sintomas, mas não revertem a doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já recomendou que as demências sejam prioridade na saúde pública. Segundo especialistas, 1 caso aparece no mundo a cada 3 segundos. Com o envelhecimento da população, essa velocidade só tende a aumentar.

Diagnóstico precoce

A presidente da Associação Brasileira de Alzheimer, Maria Leitão Bessa, relatou o preconceito que ainda existe em relação às demências. E reforçou a importância de políticas públicas para promover, por exemplo, o diagnóstico precoce. "É na atenção básica que eles vão detectar os primeiros sinais e onde estão as famílias que mais necessitam", disse.

Os médicos afirmam que, quando sintomas como a perda de memória aparecem, é sinal de que a doença já existe há pelo menos dez anos. E só parte dos fatores de risco das demências podem ser revertidos. Entre eles estão o tabagismo, a hipertensão e a obesidade. A ideia, então, é atrasar ou amenizar os sintomas. Por isso, a prevenção é tão importante.

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 07:30:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (16 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O senador Reguffe (sem partido-DF) cobrou em Plenário nesta quinta-feira (10) a apreciação, pela Câmara dos Deputados, do decreto legislativo aprovado no Senado suspendendo a portaria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que permitiu às empresas aéreas cobrarem pela bagagem despachada.

O Projeto de Decreto Legislativo 578/2016 (PDS 89/2016 no Senado) susta o artigo 13 da Resolução 400/2016 da Anac. O senador lembrou que a revogação da portaria foi aprovada por unanimidade em Plenário.

- A Câmara dos Deputados simplesmente não vota esse projeto de decreto legislativo lá. E o consumidor brasileiro continua pagando por essas bagagens. Não baixou o preço da passagem, conforme foi dito. E acho que esta Casa tem que dizer isso - reclamou.

Reguffe reconheceu que há outros temas importantes em discussão no país, principalmente em um momento de crise como o atual, mas alertou que é um "desrespeito ao consumidor" o que está acontecendo e afirmou que essa postura do Congresso não é correta.

- Acho que esse trâmite legislativo não é correto. Alguma coisa tem que ser feita, porque se engavetam as coisas e não se toma a decisão. Vota-se contra ou a favor. Agora não votar é que eu não considero correto. Por isso é que, às vezes, a população brasileira não respeita o seu Parlamento, porque ela vê as coisas não acontecendo - criticou.

O PDC 578/2016 já foi aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara, mas ainda precisa passar pelas comissões de Viação e Transportes e de Constituição e Justiça e Cidadania, antes de seguir para o Plenário daquela Casa.

Agência Senado

 




Publicado por: Daniel Campos - 11/08/2017 - 07:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.92/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.9/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



«Primeira «Recentes ... 72 73 74 75 76 [77] 78 79 80 81 ... Antigas» Última»