Daniel no Rádio




Pernambuco terá R$ 3,2 bilhões do Avançar

Com o objetivo de criar uma agenda positiva, o Governo Federal lançou, nessa quinta (9), o detalhamento do Programa "Agora é Avançar", que prevê um investimento na ordem de R$ 130 bilhões para obras inacabadas em andamento lento, algumas inclusive paralisadas. Referentes às áreas de infraestrutura, política social, habitação, transmissão de energia, saneamento e mobilidade urbana, os projetos vêm como uma forma de requentar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - na prática, muitas delas já estavam listadas nesse programa. Serão 7.439 obras em todo o território nacional com previsão de término até dezembro do próximo ano, como informou o Ministério do Planejamento.

O Nordeste é a região que terá o maior número de obras, com 3.186 mil e valor destinado de R$ 19 bilhões. Para Pernambuco, serão investidos R$ 3,2 bilhões, incluindo 348 obras, voltadas para escolas, moradias, unidades básicas de saúde, esgotamento sanitário e abastecimento de água. Entre as principais obras do Estado está o Estaleiro Atlântico Sul, compreendendo cinco navios Aframax. Com 31% das obras em andamento, o empreendimento naval vai receber R$ 1,1 bilhão.

Outro estaleiro que receberá a verba é o Promar, com oito navios gaseiros. O valor é da ordem de R$ 185,8 milhões para pagar os 5% de obras restantes. A habitação popular do Minha Casa Minha Vida (MCMV) de Pernambuco também está na lista dos projetos do Avançar. Com 40% das obras em execução, o progresso financeiro do MCMV está em 40% e o governo pretende investir R$ 373 milhões para conclusão das construções.

No projeto, está assegurada a construção de mais de mil quilômetros de adutoras e canais. As etapas 1 e 2 da Adutora do Agreste, de execução responsável do Governo de Pernambuco, vai receber uma injeção de R$ 449,3 milhões para concluir o restante da obra, que representa 56%. O ministro da Integração, Helder Barbalho, tinha prometido em julho, entregar a Adutora ainda este ano, liberando a estrutura para receber as águas canalizadas pelo Projeto de Integração do Rio São Francisco. Esse processo seria utilizado para repassar as águas aos municípios que sofrem com a seca hoje.

Segundo o Ministério do Transportes, serão investidos R$ 15 milhões em aeroportos, portos, rodovias, ferrovias e hidrovias das cinco regiões do País. Nesse projeto, está inserido o Aeroporto de Serra Talhada. Com apenas 5% das obras em execução, o Governo Federal promete finalizar a construção com um investimento de R$ 20 milhões. O aeroporto está passando por intervenções para receber os voos comerciais. O projeto para a construção do terminal de passageiros permanente está em elaboração.

Os investimentos para o programa virão por três caminhos: R$ 42,1 bilhões do orçamento geral da União; R$ 29,9 bilhões da Caixa Econômica Federal, do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); e R$ 58,9 bilhões de empresas estatais do setor de energia, em especial a Petrobras. De acordo com o Governo Federal, os critérios levados em consideração pelo projeto foram a "garantia de que as obras terão recursos financeiros necessários para serem concluídas e o compromisso de que serão entregues até dezembro de 2018." (G1)


Publicado por: - 10/11/2017 - 11:14:44

 


Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   

  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 3.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3.5/5 (2 votos)

 

 

COMENTÁRIOS